Escrito em por . Atualizado em 13/05/2016 23:46h.

13178850_10205908333260473_190303997763334877_nReunião do ANAJURE Refugees com o Ministro de Educação e Vice-Primeiro-Ministro da Jordânia – Dr. Mohammad Thneibat, junto ao Deputado jordaniano Abdallah Khawaldeh.


Um ano após a primeira viagem ao Oriente Médio em Missão Oficial
(veja aqui), o Dr. Uziel Santana (presidente da ANAJURE) voltou a visitar a região entre os dias 05 e 11 de maio, trabalhando em pautas do ANAJURE Refugees e da Frente Parlamentar Mista para Refugiados e Ajuda Humanitária (FPMRAH), entidade da qual a ANAJURE é membro fundador como representante da sociedade civil. O objetivo central desta agenda internacional foi fazer contatos com a meta de colocar em prática, a partir de junho deste ano, projetos de ajuda humanitária planejados desde o ano passado com apoio do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) e do Governo Federal Brasileiro, através do Ministério das Relações Exteriores (MRE) e Embaixadas do Brasil no  Líbano, Síria, Jordânia, Iraque e Turquia. Além do recebimento de casos emergenciais no Brasil sob moderação da ANAJURE, alguns inclusive relatados no segundo livro da ANAJURE Publicações (Refugiados no Brasil), o foco agora é desenvolver uma atuação mais local na Jordânia, Líbano, Síria e Iraque, com refugiados eminentemente sírios, curdos e iraquianos.

13151656_10205890944825773_5771846937212675812_nNa agenda desta viagem, o Dr. Uziel Santana esteve reunido com pesquisadores da organização SERVED, que inclusive emitiu junto a outras entidades de ajuda humanitária um relatório internacional que fala sobre Oriente Médio e o impacto na região com a saída de cristãos (leia mais aqui), e que pretende, junto ao ANAJURE Refugees, trabalhar no Curdistão, Egito, Iraque, Jordânia, Líbano e Síria um modelo educacional e de cultura voltado para a tolerância religiosa que está em fase de elaboração, contando com apoio também da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

O presidente da ANAJURE também se encontrou com as seguintes autoridades: Ministro de Educação e Vice-Primeiro-Ministro da Jordânia – Dr. Mohammad Thneibat, Deputado jordaniano Abdallah Khawaldeh, Embaixador do Brasil em Amã – Francisco Carlos Soares Luz, Ministro Conselheiro da Embaixada do Brasil em Amã – Ancelmo César Lins de Góis, Embaixador do Brasil em Beirute – Jorge Geraldo Kadri, e com uma Representante da Embaixada do Brasil em Damasco – Daniele Luz; para dialogar sobre os projetos do ANAJURE Refugees a serem executados no Oriente Médio.

O primeiro deles é a coordenação e o financiamento de aulas de português para refugiados que sairão da Jordânia para refugiar-se no Brasil. O responsável pela execução deste projeto é Marcos Reis, gerente do ANAJURE Refugees no Oriente Médio, que mora em Amã, capital da Jordânia, e acompanha de perto as situações mais delicadas concernente à necessidade de ajuda internacional. O segundo projeto será feito em conjunto com a UniEVANGÉLICA, com um trabalho de intervenção local de 6 meses, a começar em agosto de 2016, para auxiliar refugiados no âmbito educacional, jurídico e de assistência médica, com atendimentos especiais para emissão de documentos e suporte psicológico. Este trabalho específico será realizado em um abrigo de refugiados em Saida, no Líbano, chamado de  “Pepsi Underground Collective Shelter”, que acolhe atualmente 980 sírios, em 200 “unidades” (na verdade, pequenas salas do antigo depósito de fábrica da Pepsi), segundo informações da Embaixada do Brasil em Damasco. As famílias refugiadas neste abrigo são da região de Homs e deixaram a Síria em 2011. “Segundo o próprio ACNUR, as condições desse abrigo são extremamente precárias, mesmo se comparadas com assentamentos similares no Líbano, em particular no que se refere às condições de higiene e ventilação”, afirma a embaixada.

No mês de junho, a ANAJURE promoverá um café especial para planejamento de trabalhos da ANAJURE junto à FPMRAH, que contará com a presença de parceiros do Ministério das Relações Exteriores, CONARE e ACNUR, onde serão anunciados outros projetos em fase de elaboração a serem desenvolvidos ainda este ano. Para que tais projetos sejam viáveis, a FPMRAH tem solicitado emendas parlamentares no orçamento da União para financiamento de ações humanitárias nacionais e internacionais.