Escrito em por . Atualizado em 14/06/2018 11:57h.

 

IMG_4307Na tarde de ontem (13/06), a ANAJURE, representada por suas assessoras jurídicas, Dra. Lizia Bondestein e Dra. Talita Duarte, acompanhadas do Deputado Federal Leonardo Quintão, presidente da Frente Parlamentar Mista para Refugiados e Ajuda Humanitária (FPMRAH), se reuniram com o Ministro das Relações Exteriores Aloysio Nunes, na sede do Itamaraty em Brasília, para discutir alguns casos de reassentamento de refugiados no Brasil.

A reunião fez parte das ações do programa ANAJURE Refugees, o programa de refugiados e ajuda humanitária da ANAJURE. Na ocasião, foram apresentados ao governo brasileiro alguns casos de refugiados e solicitantes de refúgio, vítimas de perseguição religiosa oriundos principalmente do Oriente Médio e da África, que desejam vir ao Brasil.

A fim de tornar essa realidade possível, foi abordada a necessidade da criação de um programa privado de reassentamento de refugiados no Brasil, por meio de uma parceria entre o Ministério das Relações Exteriores, o Comitê Nacional para Refugiados (CONARE) e o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), juntamente com setores da sociedade civil brasileira, incluindo a ANAJURE. A iniciativa, já em vigor em países como Canadá, Argentina e Chile, possibilita que pessoas físicas ou organizações privadas se tornem responsáveis pelo acolhimento e integração de refugiados.

Para o presidente da ANAJURE, Dr. Uziel Santana, um programa de reassentamento privado é uma necessidade cada vez mais urgente no Brasil: “Recebemos diariamente inúmeros pedidos de ajuda para casos de cristãos perseguidos ao redor do mundo que, para salvarem suas vidas, precisam buscar refúgio em outro país. Muitos gostariam de vir ao Brasil e até possuem igrejas dispostas a recebê-los e acolhê-los até que estejam aptos a serem integrados na sociedade brasileira. Entretanto, por impedimentos legais, nem sempre somos capazes de conseguir as autorizações necessárias para tornar isso possível, a despeito da boa vontade e interesse do governo brasileiro.”

O secretário executivo do ANAJURE Refugees, Igor Sabino, ressalta ainda que a criação de um programa privado de reassentamento de refugiados no Brasil seria algo benéfico para a sociedade internacional como um todo, tendo em vista que, nos últimos anos, a necessidade de reassentamento cresceu de forma significativa, em virtude dos conflitos no Oriente Médio e na África. Ao mesmo tempo, porém, são  poucos os países têm se mostrado dispostos a contribuir com a proteção internacional dos refugiados.

Para mais informações sobre o tema, escreva para Igor Sabino, em secretaria.refugees@anajure.org.br

__________________

Redação ANAJURE