Escrito em por . Atualizado em 31/01/2019 15:29h.

WhatsApp Image 2019-01-31 at 15.53.31

Desde 2015, a Venezuela tem enfrentado uma grave crise político-econômica, resultando em diversos problemas para a sua população nacional. Nos mercados, há falta de alimentos, produtos de higiene e remédios e, quando há disponibilidade dos mesmos, os preços são bastante elevados, devido ao crescente nível de inflação do país. Soma-se a esses problemas, a caótica situação instaurada pelas disputas entre o Partido Socialista Unido da Venezuela e os grupos radicais de oposição. Tais fatos têm culminado em um grande fluxo migratório de venezuelanos para países vizinhos da América Latina, dentre eles, o Brasil.

Segundo os dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), o número total de refugiados e migrantes venezuelanos é de aproximadamente três milhões de pessoas. Dentre os quais, apenas cerca de 85 mil se encontram no Brasil. A Polícia Federal anunciou que, até novembro de 2018, havia registro de 77.306 pedidos de refúgio e 39.692 pedidos de residência feitos por migrantes forçados venezuelanos em todo o Brasil. Entre eles, estão um jovem casal que, ao fugir da crise política e humanitária na Venezuela, encontraram abrigo na Ilha de Itamaracá, na grande Recife – PE. O casal chegou até o município pernambucano por meio do programa brasileiro de interiorização de venezuelanos após atravessar a fronteira do Brasil em Pacaraima-RO.

Os dois jovens que, por motivos de segurança, preferem não identificar a identidade, venderam tudo o que tinham enquanto ainda estavam no país de origem. Embora possuam diplomas acadêmicos e ampla experiência profissional, ainda não conseguiram validá-los; o que, juntamente com as barreiras linguísticas, os tem impedido de trabalhar. Para piorar a situação, a jovem está em seu sétimo mês de gestação. Graças ao apoio prestado pela Associação Nacional de Juristas Evangélicos (ANAJURE), contudo, ela tem conseguido realizar as consultas do período gestacional no Hospital Agamenon Magalhães, em Recife.

Dessa maneira, em virtude da condição financeira do casal, a ANAJURE, em parceria com a denominação Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil, está promovendo uma campanha de arrecadação de fundos para ajudá-los na compra do enxoval para o bebê. Esta ação tem como objetivo ajudar o casal de venezuelanos bem como outras famílias de refugiados que se encontram em situação semelhante. Sendo assim, solicitamos a todos que acompanham o trabalho da ANAJURE que participem desta campanha e contribuam conforme as suas condições. Qualquer valor monetário é bem vindo.

Os interessados devem fazer suas doações para a conta bancária da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil (Banco do Brasil, Agência 011-6, Conta Corrente 70.682-5, CNPJ: 09.238.338/0001-50). Para maiores informações, escreva para o  e-mail secretaria.refugees@anajure.org.br. Desde já, agradecemos o apoio e disposição daqueles que se interessam pela causa. Ademais, pedimos que orem para que o Senhor cuide dessa etapa final da gestação, que o nascimento desta criança ocorra de forma tranquila e que Ele possa nos usar como instrumentos para abençoar esta família.

‘‘O estrangeiro residente que viver com vocês deverá ser tratado como o natural da terra. Amem-no como a si mesmos, pois vocês foram estrangeiros no Egito. Eu sou o Senhor, o Deus de vocês’’. – Levítico 19.33-34