Escrito em por . Atualizado em 07/05/2018 15:55h.

andrewbrunson2_si

Os cristãos na Turquia pedem novamente oração por Andrew Brunson, o pastor americano preso na Turquia desde outubro de 2016, pois se prepara para sua próxima audiência no dia 7 de maio.

Antes da primeira audiência, Andrew havia sido transferido para outra instituição penal e mantido em confinamento solitário. E isso o deixou muito perturbado, mas ainda conseguiu ler sua resposta às acusações feitas contra ele em um documento de 62 páginas, levando seis horas para fazê-lo.

Andrew reiterou que ele é um servo de Deus e que seu motivo para ir à Turquia era pregar a Jesus Cristo e fazer discípulos. Ele enfatizou que amava a Turquia, tem orado pelo país há 25 anos e não fez nada de errado. Ele rejeitou todas as alegações que foram feitas contra ele de ligações com a organização de Fetullah Gülen e o movimento separatista curdo (PKK), e de espionagem contra o estado turco.

Esperava-se que o juiz presidente permitisse que Andrew fosse libertado, mas no final da audiência, que durou mais de doze horas, ele decidiu que Andrew voltaria à prisão.

O caso contra Andrew depende fortemente do depoimento de testemunhas, cujas identidades foram mantidas em sigilo. A próxima audiência, marcada para 7 de maio, será focada nesses depoimentos e bem como nas alegações injuriosas e geralmente absurdas que foram feitas.

A manutenção do encarceramento de Andrew tem aprofundado uma divisão política entre Ancara e Washington. Em 17 de abril, o presidente Trump twittou: “Pastor Andrew Brunson, um bom homem e líder cristão nos Estados Unidos, está sendo julgado e perseguido na Turquia sem motivo. Eles o chamam de espião, mas eu sou mais espião do que ele. Espero que ele tenha permissão para voltar para casa, para sua linda família, onde ele pertence! “

A primeira audiência foi assistida pessoalmente pelo Embaixador Geral dos EUA para a Liberdade Religiosa Internacional e por um senador do estado natal de Andrew, Carolina do Norte. Em 20 de abril, um grupo bipartidário de 66 senadores dos EUA enviou uma carta ao presidente Erdogan pedindo a libertação imediata de Andrew. Em 22 de abril, o presidente Erdogan respondeu em uma entrevista no canal de notícias de televisão NTV, ligando a libertação de Andrew à extradição de Fetullah Gülen, o clérigo islâmico culpado pela tentativa de golpe de 2016. O presidente disse: “Se vocês querem Brunson, olhem para os passos que deram no passado. Por que vocês não deportam Fetullah Gülen de acordo com o tratado de extradição?”

Os cristãos turcos pedem oração para que:

a. O Senhor fortaleça Andrew, e ele e sua família experimentem a paz e a presença de Deus.

b. Os preparativos para a defesa de Andrew prossigam bem e que o advogado tenha sabedoria em sua abordagem

c. Tendo sido examinadas as falsas alegações das testemunhas, a verdade se apresente clara e aparente

d. O tribunal turco defenda a justiça e rejeite as alegações do envolvimento de Andrew em grupos terroristas ou políticos ilegais e em espionagem militar

e. O presidente Erdogan não abuse dos direitos individuais de Andrew usando-o como moeda de barganha para a extradição de Fetullah Gülen.

f. Andrew seja libertado em breve e os responsáveis por sua prisão se arrependam de suas ações.

_______________________
Por: Middle East Concern