Escrito em por . Atualizado em 11/05/2017 15:12h.

ANNUAL REPORTA liberdade religiosa está em evidência no mundo todo e, pela primeira vez, a Rússia está entre os mais opressores deste direito, de acordo com o mais proeminente e influente avaliador da América sobre o assunto.

Publicado em 26 de abril de 2017, o novo relatório anual desenvolvido pela Comissão de Liberdade Religiosa Internacional dos Estados Unidos (United States Comission on International Religious Freedom – USCIRF), parceira internacional da ANAJURE, pontuou já em seu primeiro parágrafo:

A atual situação da liberdade religiosa internacional está piorando tanto em profundidade como em largura devido às violações. Os flagrantes têm se tornando tão assustadores – tentativas de genocídios, morte de inocentes e ataques destrutivos à lugares de adoração – que abusos menos atrozes passam despercebidos… Muitos observadores têm ficado entorpecidos com as violações do direito à liberdade de pensamento, consciência e religião.

Nesta mesma edição de 2017, a USCIRF listou 16 países com tais situações de ofensas, um a menos que o relatório de 2016. Entre eles, pela primeira vez está a Rússia, sobre a qual a USCIRF disse que foi incluída ”devido à utilização da sua lei “anti-extremismo” como um instrumento para restringir repetidamente as liberdades religiosas para várias religiões, mais recentemente as Testemunhas de Jeová.”

Segundo o relatório, o uso da lei pela Rússia para “securitizar” a religião não é única:

“Muitas violações da liberdade religiosa não parecem ter como alvo a religião. Violações podem parecer banais, tais como requerimentos para permissões de construção, ou menos banais, tais como restrições à associação. Não obstante, essas são violações de liberdades religiosas internacionais e elas estão crescendo em números e frequência. A USCIRF também descobriu que muitas restrições sobre liberdades religiosas são feitas sob o disfarce de proteger a segurança nacional. Contudo, essa ‘Securitização” da religião é uma espada de dois gumes.”

O relatório de 243 páginas, contém exames detalhados das condições de liberdade religiosa em 16 países de particular preocupação, 12 de uma segunda categoria, e outros oito juntamente da Europa Ocidental, relatando uma piora das condições ao redor do mundo sobre o uso de leis anti-blasfêmia, que são aplicadas mais fervorosamente no Paquistão e outros países de maioria muçulmana. A USCIRF disse que as leis são desculpas para o abuso e que “levam à graves violações de direitos humanos, encoraja extremistas e são, a longo prazo, contra-produtivas à segurança nacional”.

Veja o relatório completo em inglês neste link.

___________________________________
Com informações de World Watch Monitor
Por: Redação l ANAJURE