Escrito em por . Atualizado em 31/08/2017 09:05h.

infographic_humanrightstulip_2017O advogado chinês defensor de direitos humanos foi nomeado para o Prêmio Direitos Humanos (Human Rights Tulip) de 2017, concedido pelo governo holandês. Wang está detido desde agosto de 2015.

Anteriormente a sua prisão, Wang Quangzhang defendeu o direito à liberdade de religião e crença, defendeu cristãos e praticantes do exercício espiritual chinês Falun Gong, além de outras vítimas de abusos de direitos humanos. Ele também desenvolveu sessões de treinamento e  materiais para a defesa dos direitos humanos, além de haver fornecido assistência jurídica. Juntamente com outros advogados e defensores dos direitos humanos na China, Wang foi sujeito a assédio, ameaças e ataques pessoais pelas autoridades em resposta ao seu trabalho

Em agosto de 2015, Wang foi detido pela polícia em uma repressão à tentativa de defesa legal dos direitos humanos, o que mais tarde Wang chamou de a repressão 709. Mais de 300 advogados, ativistas, colegas e familiares foram interrogados, detidos ou presos na repressão. Muitas das pessoas presas relataram que foram torturadas quando estavam detidas e teme-se que Wang tenha sofrido o mesmo destino.

Recebendo a indicação do advogado chinês Wang Quanzhang por este importante prêmio, o chefe executivo da Christian Solidarity Worldwide (CSW), Mervyn Thomas, tem apoiado a campanha #Tulip4Wang, pois, segundo ele “O advogado Wang é um inspirador e corajoso defensor dos direitos humanos, incluindo o direito à liberdade de religião ou crença. Como tantos advogados e ativistas na China, Wang sofreu intimidação, assédio e agora prisão em regime de incomunicabilidade como resultado de seu trabalho”.

Já fazem dois anos que ninguém mais ouviu, viu ou falou com Wang e, segundo o chefe executivo da CSW, isso é “uma clara violação de seus direitos de acordo com a lei internacional e prejudica severamente o compromisso declarado pelo governo com o Estado de Direito”. Por esse motivo, a CSW insta o público a votar em Wang e a mostrar às autoridades chinesas, à comunidade legal e à família de Wang, que o mundo não o esqueceu (Vote aqui).

A Human Rights Tulip é um prêmio anual concedido pelo governo holandês a “indivíduos ou organizações corajosas em todo o mundo que buscam promover os direitos humanos de maneira inovadora”. A votação está aberta ao público de 28 de agosto a 6 de setembro de 2017. O ministro das Relações Exteriores holandês, Bert Koenders, convidou todos a votar, “para mostrar que os defensores dos direitos humanos são importantes”.

Os vencedores anteriores do prêmio incluem a ativista jurídica chinesa Ni Yulan no ano de 2011. Ela foi nomeada pela CSW e China Aid em reconhecimento ao seu trabalho como ativista de direitos de moradia, defendendo os residentes de Pequim cujas casas foram demolidas para dar lugar às Olimpíadas de 2008, e que resultou em sua prisão em várias ocasiões.

_______________________
Fonte: CSW
Por: Redação l ANAJURE