Escrito em por . Atualizado em 01/03/2018 14:46h.

bibi-807x450

[Foto: Eisham Ashiq e Ashiq Masih, filha e marido de Ásia Bibi, respectivamente / Reuters]

Na noite do último sábado (24), o Coliseu de Roma foi iluminado por uma luz vermelha em solidariedade às vítimas de perseguição religiosa, segundo informou a agência Reuters. A noite foi marcada por um encontro entre o Papa Francisco e a família de Ásia Bibi, cristã paquistanesa condenada à morte por blasfêmia, detida desde 2009 (leia mais aqui), e Rebecca Brutus, nigeriana que escapou de um cativeiro do Boko Haram. Simultaneamente, a Catedral Maronita de São Elias em Aleppo, na Síria, e a Igreja de São Paulo em Mosul, no Iraque, foram iluminadas com luzes vermelhas, simbolizando o sangue de cristãos mortos por sua fé.

Ashiq Masih, marido de Ásia Bibi, visitou a Cidade do Vaticano com sua filha, Eisham Ashiq, e disse à Agência Fides que sua esposa “vive seu aprisionamento com grande fé e confia no Senhor todos os dias”. A filha de Bibi, Eisham Ashiq, de 18 anos, disse: “Espero ver minha mãe o mais rápido possível em um lugar tranquilo e em paz familiar”.

Nunzio Galantino, arcebispo católico e secretário-geral da Conferência Episcopal Italiana, afirmou em uma reunião com centenas de pessoas no Coliseu que “o objetivo das leis da blasfêmia é esmagar pessoas que acreditam de maneira diferente”.

Segundo Joseph Nadeem, diretor da Fundação de Educação do Renascimento, responsáveis pelo acolhimento social e legal da família de Ásia Bibi, “os advogados estão cuidando do apelo, e espera-se que a data para a audiência seja marcada o mais cedo possível”. Nadeem afirmou ainda ter plena confiança no estado de direito e no judiciário paquistanês, podendo garantir a inocência de Ásia. Somente o Supremo Tribunal do Paquistão pode mudar a sentença de morte dela.

__________________________
Por: Redação l ANAJURE
Com informações de: WWM