Escrito em por . Atualizado em 12/06/2018 09:57h.

[Presidente Donald Trump trocando apertos de mão com o presidente norte-coreano Kin Jong-un. Foto: Reuters – Jonathan Ernst]

Nesta terça-feira (12/06), o presidente dos EUA, Donald Trump, protagonizou um momento histórico para a política internacional, ao se encontrar com o presidente norte-coreano Kin Jong-un, em uma cúpula realizada entre os dois países em um luxuoso hotel de Singapura. Na ocasião, os líderes dos dois países assinaram um tratado que visa ao estabelecimento da paz entre as duas nações bem como à desmilitarização nuclear da península coreana.

Essa foi a primeira vez em que um presidente estadunidense se reuniu com um presidente norte-coreano, após anos de animosidades entre os dois países e ameaças mútuas. Fato que levou muitos analistas internacionais a verem com desconfiança a possibilidade de realização da cúpula, sobretudo diante de uma série de farpas trocadas entre Trump e Kin Jong-un em uma rede social no começo deste ano. Após encontrar-se com Trump, no entanto, o líder norte-coreano afirmou que o mundo está prestes a ver “uma grande mudança”. Trump, por sua vez, afirmou que este é apenas o primeiro de muitos encontros e que espera receber Kin Jong-un também na Casa Branca, elogiando-o pela sua disposição em negociar a paz.

O encontro ocorreu após os EUA anunciarem uma série de sanções contra a Coreia do Norte, no ano passado, afetando de modo drástico a economia do país asiático. As sanções ainda devem permanecer em vigor até que sejam atendidas as condições estabelecidas no tratado firmado entre os dois países, principalmente no que diz respeito à desnuclearização norte-coreana. Entretanto, há grandes sinais de otimismo entre as duas partes. Para Trump, esse é um processo que requer tempo, mas que pode ocorrer em breve.35082870_10211536318396584_1032411851926798336_n

A ANAJURE observa esses eventos com grande satisfação, tendo em vista o fato de a organização ter sido um dos primeiros representantes da sociedade civil brasileira a buscar dialogar de modo direto com o governo norte-coreano acerca de questões relacionadas à proteção dos direitos humanos. Diálogo esse que foi estabelecido desde 2015 e permanece até hoje, por meio de visitas regulares à Embaixada da Coreia do Norte no Brasil. Em fevereiro, o presidente da ANAJURE, Dr. Uziel Santana reuniu-se com o embaixador Kim Chol Hak a fim de dar continuidade às negociações iniciadas há um ano, para a realização de uma visita, por parte de uma comitiva brasileira, a Pyongyang, capital da Coreia do Norte. O objetivo da viagem é implementar projetos humanitários em orfanatos ao longo do ano 2019, numa parceria entre Frente Parlamentar Mista para Refugiados e Ajuda Humanitária (FPMRAH), ANAJURE e IPPFoRB (Painel Internacional de Parlamentares para Liberdade Religião ou Crença).

Além dessas iniciativas, a ANAJURE também tem se mostrado presente em diversos fóruns internacionais, principalmente na Coreia do Sul, que visam discutir acerca da situação dos direitos humanos na Coreia do Norte. Desse modo, o Dr. Uziel Santana, que já esteve na fronteira norte-coreana, afirma: “seja aqui no Brasil, ou no exterior, temos orgulho de afirmar que a ANAJURE sempre tem estado aberta ao diálogo com a Coreia do Norte com relação a questões de direitos humanos. É por essa razão que temos um relacionamento transparente e consolidado com a Embaixada norte-coreana no Brasil. Assim, cumprimentamos o Embaixador Kim Chol Hak e sua equipe diplomática pelo histórico e importante dia de hoje e oferecemos ao povo norte-coreano os nossos mais sinceros votos de paz e esperança.”

Para mais informações sobre este assunto e sobre as iniciativas da ANAJURE na Coreia do Norte, escreva para o Secretário Executivo do ANAJURE Refugees, Igor Sabino, em secretaria.refugees@anajure.org.br

____________________

Redação ANAJURE