Escrito em por . Atualizado em 23/04/2018 16:16h.

[Foto: Mohammad Ismail/Reuters]

Neste domingo (22), um ataque com um homem-bomba deixou pelo menos 57 mortos e mais de 100 feridos em Cabul, Afeganistão, segundo um balanço dos Ministérios do Interior e Saúde. O Estado Islâmico reivindicou a autoria do atentado através de seu braço de propaganda, Amaq. De acordo com o porta-voz do Ministério da Saúde, Wahid Majrooh, entre os mortos há ao menos 21 mulheres e cinco crianças.

Às 10h local (2h30 pelo horário de Brasília), o homem-bomba realizou a explosão em frente ao centro de cadastramento, onde os eleitores recolhiam suas células de identidade como parte do processo de registro de eleitores para as eleições cujo pleito está marcado para outubro. O atentado ocorreu em um bairro de maioria xiita no oeste da capital, estilhaçando janelas e prédios da região, além de destruir carros e deixar destroços pelas ruas.

Este ataque já é considerado o mais sério ocorrido em Cabul desde janeiro, quando 100 pessoas morreram em um atentado com uma bomba escondida numa ambulância. Segundo a ONU, mais de 750 pessoas foram mortas ou feridas em ataques suicidas e atentados a bomba por grupos militantes de janeiro até março deste ano.

A ANAJURE se pronunciou através de uma Nota Pública. Leia abaixo:

 

afe

 

A Frente Parlamentar Mista para Refugiados e Ajuda Humanitária e a ANAJURE – Associação Nacional de Juristas Evangélicos, por seus respectivos representantes, vem, através do presente expediente, expor ao Governo Brasileiro, à Comunidade Internacional e, sobretudo, ao Governo e à população civil da República Islâmica do Afeganistão, as suas condolências e o seu repúdio com relação ao atentado terrorista ocorrido no último domingo (22/04) em Cabul, cuja autoria foi reivindicada pelo Estado Islâmico.

Condenamos toda forma de violência empregada por grupos terroristas transacionais, sobretudo pelo Estado Islâmico, que se utiliza de elementos religiosos a fim de legitimar as suas atrocidades. Atentados como esse fazem parte da estratégia do grupo de fomentar ainda mais conflitos sectários em países majoritariamente muçulmanos e assim desestabilizar a ordem e a justiça da sociedade internacional como um todo.

Dessa maneira, ressaltamos a importante relação entre a promoção da liberdade religiosa e a manutenção da segurança internacional. Logo, enquanto representantes da sociedade civil brasileira, reafirmamos o nosso compromisso com a defesa das liberdades civis individuais para todos os indivíduos, tanto no âmbito doméstico quanto internacional.

Assim, pedimos a todos os Estados que compõem a atual sociedade internacional que se empenhem cada vez mais na busca por meios mais efetivos de promoção da paz e da tolerância religiosa.

Brasília- DF– Brasil, 23 de abril de 2018.

Deputado Federal Leonardo Quintão
Presidente
Frente Parlamentar Mista para Refugiados e Ajuda Humanitária

Dr. Uziel Santana dos Santos
Presidente
Associação Nacional de Juristas Evangélicos–(ANAJURE)