Escrito em por . Atualizado em 13/07/2017 10:29h.

Cristãos Palestinos têm pedido orações por freiras da Igreja Ortodoxa Copta e pelo convento em Belém que tiveram audiência judicial adiada.

belémA audiência em que se relataria ataques físicos à freiras resultante de uma disputa de propriedade, prevista para acontecer em 11 de Julho, foi adiada para o dia 10 de Outubro deste ano. Durante esse período, a Igreja Ortodoxa Copta está sendo pressionada a abandonar os procedimentos legais e aceitar o “acordo” com a família envolvida na disputa da terra. Segundo informações, a família possui laços com as autoridades palestinas.  

Em 1998, uma idosa palestina com deficiência visual recebeu um quarto na propriedade da igreja, vizinho ao convento. Contudo, a família da mulher ao se mudar para o local assumiu partes a mais da propriedade. A igreja apresentou uma queixa, mas um juiz derrubou o caso em 2015 devido à “falta de provas”. O caso foi encaminhado para um tribunal superior, mas a disputa territorial tem resultado por muitas vezes em agressões físicas às freiras.

No dia 30 de abril deste ano, freiras contactaram a polícia após serem agredidas por um dos membro da família. Um policial chegou e convidou as freiras e mais duas testemunhas a prestar queixa na delegacia. Quando estavam no carro em direção a delegacia, dois homens cortaram na frente do veículo e começaram a bater no carro em que estavam as freiras sem saber da presença do policial no carro. O ataque só cessou após este se identificar.  As freiras juntamente com as testemunhas e o policial seguiram até a delegacia onde prestaram queixa.

Os cristãos palestinos pedem oração:

  • Pela proteção das freiras;
  • Para que a justiça seja feita, não havendo ocultação do caso;
  • Para que a disputa seja resolvida a favor da igreja;
  • Por sabedoria e força para que os líderes da igreja e do governo permaneçam firmes e não cedam às pressões, comprometendo a justiça; e,
  • Para que os agressores possam repensar sobre o modo como têm agido.

 

Com informações do Middle East Concern
Por: Redação l ANAJURE