Escrito em por . Atualizado em 30/04/2013 16:03h.

Entidades cristãs internacionais levam pedido de assistência e proteção a minorias religiosas na Síria ao Congresso Nacional.

RLP (Religious Liberty Partnership), através da ANAJURE, intercede junto às mais altas instâncias do poder legislativo federal brasileiro pelos cristãos da Síria.

 

A Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados aprovou moção de apoio à Declaração de Istambul sobre a situação da Síria que vive há meses numa brutal guerra civil.  A Declaração foi lançada este mês por entidades cristãs internacionais ligadas à RLP – Religious Liberty Partnership, durante a Consulta Anual de líderes que aconteceu em março passado em Istambul na Turquia.

A moção de apoio foi aprovada mediante apresentação do Requerimento nº 7634/2013 pelo deputado da Frente Parlamentar Evangélica, Roberto de Lucena, que é membro titular da Comissão de Relações Exteriores. O parlamentar evangélico levou ainda o tema sobre a crise na Síria ao plenário na Câmara dos Deputados na quarta-feira (24) depois de se reunir e discutir o assunto com a Associação Nacional de Juristas Evangélicos – ANAJURE. Em seu pronunciamento, Lucena chamou atenção especial para o drama vivido pela população e minorias étnicas e religiosas locais, especialmente a comunidade cristã daquele país.

O deputado federal enfatizou os principais pontos da Declaração de Istambul sobre a Igreja na Síria, que enfoca a gravidade da crise e convoca a comunidade internacional a “prover suficiente proteção para todas as comunidades étnicas e religiosas, bem como seus locais históricos, religiosos e culturais”.

O documento ainda insta os cristãos de todo o mundo a orar pela paz e estabilidade da nação em guerra civil. A intenção é sensibilizar agentes políticos e a sociedade para a criação de uma solução pacífica para a atual crise, incluindo a reconciliação entre as várias comunidades étnicas e religiosas daquele país. Outro objetivo é utilizar práticas que priorizem o bem-estar de todos os sírios ao prover assistência necessária. A Declaração Istambul na íntegra pode ser vista no site da ANAJURE aqui..

O número de refugiados sírios que, fugindo da guerra civil, atravessaram as fronteiras para países vizinhos alcançou 1,4 milhões de pessoas, de acordo com a agência de refugiados da Organização das Nações Unidas (ONU). O número de mortos, segundo a ONU, já chega a 70 mil pessoas, e problemas de financiamento locais estão forçando que os serviços médicos à população sejam reduzidos, aumentando o número de baixas.

O Deputado Lucena em seu discurso no plenário também chamou a atenção para as permanentes violações de direitos humanos fundamentais, que, por certo, agravam a segurança e bem estar da população síria. “É necessário utilizar práticas que priorizem o bem-estar de todos os sírios e prover assistência advogando em nome dos vulneráveis”, afirmou o deputado.

Por fim, Lucena destacou ainda o papel da RLP e da ANAJURE como entidades que têm lutado arduamente em favor das minorias éticas e religiosas da Síria e de outros lugares do mundo onde são cometidas violações aos Direitos Humanos fundamentais.

Sequestro dos bispos

A preocupação internacional se intensificou com o sequestro de dois bispos do alto escalão da igreja ortodoxa, Boulos Yázigi, da Igreja Ortodoxa Grega, e o bispo John Ibrahim, da Igreja Ortodoxa Síria, que até agora se encontram em cativeiro em local desconhecido, após contradições em relatos internacionais. Especulações apontam que o ato pode ter partido de grupos terroristas chechenos, mas por enquanto nenhuma organização reivindicou o sequestro dos bispos.

Sobre a situação na Síria, o Dr. Uziel Santana, presidente da ANAJURE, afirmou: “Continuemos orando e agindo. Tanto pelos bispos, que recentemente foram sequestrados, quanto por todos os cristãos que tem sofrido com a perseguição na Síria. O momento é de muita apreensão e violência, mas cremos que o Senhor ajudará os nossos irmãos nesta difícil situação”. Santana destacou que a próxima ação conjunta da entidade com a Frente Parlamentar Evangélica é fazer uma visita oficial ao Embaixador da Síria para entregar a Declaração de Istambul e “interceder pelos que sofrem a agonia da dor e da morte tão presente”.

Os cristãos compõem menos de 10%  da população síria e, a exemplo de outras minorias religiosas, vêem com preocupação a luta de grupos extremistas locais contra o governo de Bashar al-Assad.